quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Poema - Burns II -


Foi “eu te amo”
Nada de “eu também”
Nos meus sonhos eu te chamo
Você vem?

Eu dormia até você chegar
Sempre apenas sonhando
Você é realidade, é ar
Estou exagerando?

A segurança deles pela tua
A vida deles pela tua
É apenas a que me interessa
Você vê?

Eu chamei de obsessão
De paixão
De calor
Deveria ter admitido que sempre foi amor

Mesmo quando eu não sabia
Eu sabia
Não foi você quem foi transformada
Eu que fui.

Você me fez nascer do nada
E agora é meu sangue que nas tuas veias flui
E são meus dentes na tua carne vermelha...

E amor... Eu jamais vou esquecê-la.

- Chamas de Sangue, Capítulo Trinta e Quatro

2 comentários:

  1. Nem preciso dizer mais nada... amo seus Poemas Burns!

    ;)

    bjs***

    à espera do III \o/

    ResponderExcluir
  2. Ahhh Marcia Lindooos os poemaas....
    *-*
    Adoreii

    ResponderExcluir